Ministro italiano se demite por falta de fundos para Educação

Ministro italiano se demite por falta de fundos para Educação

Lorenzo Fioramonti afirmou que há uma 'tendência' que 'coloca a escola, o ensino superior e a pesquisa italianos em condições muito complicadas e de muito sofrimento'. Lorenzo Fioramonti anuncia renúncia ao cargo de ministro da Educação da Itália em rede social

Reprodução/Facebook/Lorenzo Fioramonti

O ministro da Educação italiano, Lorenzo Fioramonti, membro do movimento "5 Estrelas", anunciou nesta quinta-feira (26) sua demissão por não ter obtido do governo os fundos necessários para melhorar a situação das escolas e universidades.

"Em 23 de dezembro, enviei minha carta oficial de demissão como Ministro da Educação (...) Aceitei minha missão com o único objetivo de mudar a tendência que, por décadas, coloca a escola, o ensino superior e a pesquisa italianos em condições muito complicadas e de muito sofrimento", afirmou o ministro em mensagem divulgada no Facebook.

Lorenzo Fioramonti

Reprodução/Facebook/Lorenzo Fioramonti

Contingenciamento no Brasil

O Ministério da Educação no Brasil foi alvo de contingenciamentos neste ano, determinados pelo governo federal como forma de enfrentar a crise econômica.

Em março, foram bloqueados R$ 5,8 bilhões. Em abril, o MEC anunciou o bloqueio de 30% da verba das universidades e disse que poderia liberar o dinheiro se a economia fosse retomada ou a reforma da previdência fosse aprovada. Em julho, outro decreto bloqueou R$ 348,47 milhões da pasta.

Universidades afirmam ao G1 que corriam o risco de ficarem sem aulas a partir de agosto. Faltavam recursos para pagamento de insumos de pesquisa, atendimento à população em hospitais universitários, suspensão de bolsas de estudo, entre outros pontos.